Amber HeardFilmesJohnny DeppNoticias

Johnny Depp e Amber ouviram julgamento de difamação que Começou com Alegações Explosivas

Os advogados de Johnny Depp acusaram sua ex-esposa, Amber Heard, de fabricar acusações de violência doméstica contra ele para avançar em sua própria carreira, enquanto um julgamento por difamação estava em andamento na Virgínia na terça-feira.

Depp processou Heard em US$ 50 milhões, alegando que ela devastou sua carreira quando reviveu suas alegações contra ele em um editorial de 2018 no Washington Post.

Os advogados de Heard, enquanto isso, argumentaram em sua declaração de abertura que suas alegações são inteiramente verdadeiras e que ela tinha o direito da Primeira Emenda de expressar suas opiniões. Seu advogado, Ben Rottenborn, argumentou que Depp está tentando arruinar a vida de Heard ao prosseguir com o processo.

“Durante anos, tudo o que Depp queria fazer era humilhar Amber, assombrá-la, arruinar sua carreira”, argumentou Rottenborn, chamando Depp de “um ex-marido obcecado por vingança”.

Espera-se que o julgamento dure cerca de seis semanas, já que 11 jurados serão solicitados a classificar uma montanha de evidências documentais e testemunhos conflitantes para decidir quem está dizendo a verdade.

Os advogados de Depp – Ben Chew e Camille Vasquez – observaram que o artigo do Washington Post foi publicado pouco antes do lançamento de “Aquaman“, no qual Heard estrelou, e a ajudou a se retratar como uma defensora simpática.

“Ela se apresentou como o rosto do movimento #MeToo – a representante virtuosa de mulheres inocentes em todo o país e no mundo que realmente sofreram abuso”, disse Vasquez. “As evidências mostrarão que isso era uma mentira.”

Heard acusou Depp de vários casos de agressão, incluindo momentos em que ela alega que Depp a agarrou pelo pescoço, a jogou contra uma parede, a chutou, a sufocou e a deu um soco. Sua advogada, Elaine Bredehoft, passou por muitas das alegações em detalhes em sua declaração de abertura, incluindo uma ocasião em que Depp supostamente a agrediu sexualmente com uma garrafa de bebida.

Em um comunicado, um porta-voz de Depp negou a alegação de agressão sexual. O porta-voz disse que não fazia parte das alegações originais em torno do divórcio do casal em 2016, e surgiu apenas depois que Depp entrou com seu processo de difamação em 2019.

“Isso segue um padrão de suas elaboradas e errôneas alegações que continuaram a mudar e evoluir ao longo do tempo para fins de valor de choque de Hollywood, que Amber dominou e usou para explorar um movimento social sério”, disse o porta-voz.

O julgamento entrará em detalhes minuciosos sobre abuso de drogas, violência e apartamentos destruídos. Em seu argumento de abertura, Rottenborn disse que os jurados deveriam tentar manter o foco em seu editorial, que não identifica Depp pelo nome.

“O artigo não é sobre Johnny Depp”, argumentou. “O artigo é sobre a mudança social que ela está defendendo.”

Rottenborn argumentou que, no momento da publicação, a carreira de Depp estava em queda livre enquanto a carreira de Heard estava decolando. O editorial, ele argumentou, foi sua tentativa de seguir em frente com o relacionamento abusivo. Mas ao processá-la, Depp está se recusando a deixá-la seguir em frente.

“Este caso não é sobre uma crônica do dia-a-dia de seu casamento”, disse Rottenborn. “Não é sobre quem você gosta mais. Não é sobre qual partido pode jogar mais lama… Em última análise, o que este caso é sobre a Primeira Emenda.”

Heard entrou com uma reconvenção de US$ 100 milhões contra Depp, alegando que seu advogado a difamou ao acusá-la de fabricar uma farsa.

Chew argumentou que as alegações de Heard causaram graves danos à carreira de Depp, porque os estúdios de Hollywood não querem enfrentar a reação que vem com a contratação de alguém acusado de violência doméstica.

“As evidências mostrarão que as falsas alegações de Heard tiveram um impacto significativo na família de Depp e sua capacidade de trabalhar na profissão que ele amava”, disse Chew. “Em última análise, este julgamento é para limpar o nome de Depp de uma alegação terrível e falsa.”

Depp alegou que foi retirado da franquia “Piratas do Caribe” depois que o editorial de Heard foi publicado. Mas Rottenborn argumentou que a Disney estava discutindo demiti-lo meses antes devido ao seu comportamento errático.

“Quaisquer danos que ele sofreu em sua carreira não foram por causa deste editorial”, disse Rottenborn ao júri. “É hora de fazer Johnny assumir a responsabilidade… Cabe a vocês, senhoras e senhores, fazê-lo fazer isso.”

Depp perdeu um processo semelhante em 2020 contra o jornal The Sun no Reino Unido. O juiz nesse caso considerou que as alegações de Heard eram “substancialmente verdadeiras” e que, portanto, o jornal não o difamou quando o descreveu como um “espancador de esposas”.

Victor Damião

SEO do Site "Compêndio Nerd", Fundador da "DC Wiki BR" e colecionador de Quadrinhos da DC Comics.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo